quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Celulite

    Provavelmente interrogam-se porque é que nós, que geralmente focamo-nos em questões de saúde e evitamos questões de estética, estamos focados no tratamento de celulite, certo?

    A "Celulite" é uma patologia, que não afecta só a estética em si, mas também a saúde da pessoa, a mobilidade, o metabolismo, e muito mais. Por isso mesmo achamos boa ideia começar a encarar a celulite como a patologia que é, a combinar recursos, pesquisa e métodos, dos antigos aos modernos, para encontrarmos uma fórmula mais eficaz de tratamento.

    Começamos por tentar perceber melhor a patologia em si, os mecanismos que a causam, como funciona e como afecta realmente o metabolismo. Para isso, precisamos primeiro explicar e diferenciar que é "celulite" e o que as pessoas consideram "celulite".

    Celulite real: celul = célula, ite = inflamação, ou seja, uma inflamação das células, que causa dor, inchaço, vermelhão, calor. É uma patologia terrível, que causa geralmente internamento hospitalar súbito porque as células inflamam e crescem descontroladamente, tendo o corpo que ser ajudado por medicamentos, para combater e controlar a inflamação

    Celulite: o que as pessoas percepcionam como celulite é uma patologia chamada "lipohidrodistrofia", que se traduz em: lipo = gordura, hidro = água, distrofia = anomalia de forma ou desregulo, ou seja, basicamente são aglomerado irregulares de água e gordura, em percentagens anómalas, que o corpo não está a processar correctamente.

    Tal como o nome comum indica, sendo algo acabado em "ite", indica-nos uma inflamação dos tecidos. Geralmente muitos dos tecidos com "celulite" estão ligeiramente lesionados, e por isso pode agravar e causar outras patologias também.

    E como se trata um "palavrão" tão grande como lipohidrodistrofia? Começamos por regular o que está desregulado, ajudando o corpo a processar aos poucos o que precisa processar. Sim, é algo lento e trabalhoso, mas o corpo tem total capacidade de corrigir isso, se o encaminharmos na direcção certa.

    Começamos por medir a quantidade de água que a pessoa ingere (a maioria dos pacientes que têm esta "celulite" não sabe quanto ingere, e geralmente ingerem água em quantidade insuficiente). Ao afinar correctamente a quantidade de água diária, 1/3 do trabalho está feito, mas posso garantir que é uma batalha árdua, pois a maioria das pessoas não gosta de beber água, sente que não consegue beber mais, etc., por isso os terapeutas têm que tentar várias estratégias para conseguir o objectivo.

    Muita gente que sofre de "celulite", sofre também de retenção de líquidos. Não se sabe o que veio primeiro, (se o ovo se a galinha...), mas ali também não se sabe se a celulite causou a retenção, se a retenção causou a celulite, mas o que se sabe, é que não se ajudam em nada, por isso é preciso tratar ambas, para resolver o problema.

    A segunda fase é regular a comida, mais exactamente, a gordura. Ajudar o/a paciente a regular a quantidade e qualidade das gorduras ingeridas, para não abusar, e para ajudar o corpo a reduzir a gordura que absorve. 

    Comer correctamente, a qualidade nutricional dos alimentos, quando os comer, e exercício, são a chave para controlar o que o corpo vai fazer à gordura: se absorve em aglomerados anómalos, se expele...

    Quanto a exercício, simplificamos já, "matando um mito": a maioria das pessoas tenta correr para queimar a celulite. Correr, além de poder ser mau para os joelhos, não faz quase nada à celulite, isto porque o exercício rápido faz as células trabalhar muito depressa, sem saberem bem o que fazer. (Além do trabalho à pressa, visto as pessoas geralmente terem pouca água, pior ainda...)

    O ideal de exercício é caminhar. Andar bem, andar longos períodos e manter a passada, ajuda o corpo a processar a gordura correctamente.

    A terceira fase (parte final), após regularmos bem a água e a gordura, é tratamento directo, aplicando massagem localizada. 

    Para isso, usamos 2 técnicas diferentes, que ajudam o corpo a combater a celulite (se o paciente não regula água e gordura, podemos fazer massagem à vontade que aquilo não vai a lado nenhum). O objectivo é o corpo "quebrar" os aglomerados de gordura em pedaços mais pequenos e mais fáceis de processar, e ajudar o corpo a trabalhar a circulação dos tecidos, para facilitar a expulsão da gordura e uniformização dos tecidos:

    Começamos com massagem com cremes frios, pois o frio além de tonificar os músculos e reduzir a inflamação, ajuda a solidificar a gordura disforme, para podermos quebrar mais facilmente. É uma massagem vigorosa e algo dolorosa, mas é necessário para quebrar os nódulos de gordura. 

    Depois massajamos com óleo e com óleos essenciais, tais como ananás e alecrim, que ajudam na remoção da gordura e na retenção de líquidos, tentando assim prevenir o reaparecimento da "celulite". Também podemos usar ventosas, para puxar tensão ao cimo da pele, promover a circulação e ajudar o corpo a remover toxinas mais facilmente.

    Com isto tudo, conseguimos abordar uma patologia complexa, mas é graças aos trabalhos dos/das pacientes que isto se "cura". Sem trabalho de ambos, os massagistas não fazem milagres (infelizmente...).

    Esperamos que este post ajude na compreensão da patologia, nos tratamentos, e na recuperação. 

Celulite

     Provavelmente interrogam-se porque é que nós, que geralmente focamo-nos em questões de saúde e evitamos questões de estética, estamos f...