segunda-feira, 29 de março de 2021

Chás medicinais

    Para começarmos com este tópico, algo que é muito recomendado por nós, convêm primeiro começar por explicar a diferença entre chá e tisana:

  • "Chá" é uma planta (mais concretamente um arbusto), com o nome científico de "camellia sinensis". Para ser chá, pode usar uma mistura de variadas plantas mas, têm que conter esta planta específica.
  • "Tisana" pode ser uma ou mais plantas, mas não têm "camellia sinensis".

    Agora que tiramos isso do caminho, vamos então aprofundar o chá em si! Existem variados chás e tisanas medicinais (sempre, obviamente, dependendo o que desejamos tratar). O chá, planta medicinal de variados efeitos, costuma variar entre 3 tipos principais: preto, verde e branco, e variados sub-tipos (oolong, earl grey, matcha, pu-erh, etc.).

    O tipo de chá costuma variar consoante a sua oxidação, sendo o branco o menos oxidado, o verde moderadamente oxidado, e o preto o mais oxidado. A oxidação não só afecta o paladar, como também a sua característica medicinal e a sua forma de preparação.

    Dentro do tipo de chá preto, temos chás famosos como Earl Grey (famoso no Reino Unido) e o Pu-erh (chá chinês envelhecido e fermentado). 

    Dentro do tipo de chá verde, temos chás como o Oolong (chá chinês com um grau de oxidação entre o verde e o preto) e o Matcha (chá verde japonês finamente triturado).

    Dentro do tipo de chá branco, temos chás como Bai Mudan (chá branco chinês de aroma floral forte) e o Bai Hao Yinzhen (chá branco chinês mais suave).

    Quanto aos efeitos benéficos:

  • O chá branco, de paladar suave, é geralmente usado para limpeza e purificação do corpo, sendo por isso usado como base de quase todos os chás medicinais japonêses. Este tipo de chá é delicado, oxidando muito facilmente, e por isso deve ser consumido até 2 horas após a preparação. A folha não deve atingir temperatura superior a 30⁰, para não queimar e libertar toxinas. Este chá é muito usado para acalmar o organismo e ajudar a recompor (por exemplo de gastrites, viroses gastrointestinais, etc.), e sendo também o chá com menos teína (a "cafeína" do chá) torna-o seguro para crianças e toma nocturna, pois não causa despertina.
  • O chá verde, de sabor mais forte que o chá branco, é muito usado como chá medicinal na China, não só pela sua acção revigorante no corpo, como pelo seu efeito diurético. É um excelente tónico, mas a folha não deve passar dos 60ºC, para não queimar e igualmente libertar toxinas. A nível medicinal, é usado quando queremos tratar o corpo, mas também forçar a expelir, sendo assim um bom purgante de toxinas, e tonificador.
  • O chá preto é pouco usado medicinalmente, sendo um bom substituto do café, altamente estimulante e energizante. Por ser mais oxidado, é o chá que aguenta maiores temperaturas, podendo a folha ir até aos 90ºC. 

    Mas atenção, apesar de grande maioria dos chás medicinais virem do oriente, também encontramos boas receitas de chás medicinais com raízes ocidentais, tal como a receita que deixamos aqui de seguida, de "chá da montanha", que é uma receita grega, de uma ilha específica, onde os habitantes têm por hábito tomar esta mistura, e dizem que é o segredo da sua longevidade.

    Existem imensas misturas diferentes, tanto para aromatizar como para tratar. Aqui, infelizmente não as podemos colocar todas, porque além de não "termos tempo", acreditamos que a mistura de chá deve ser elaborada como um medicamento: personalizado para aquela pessoa apenas, para aquele tamanho e peso, para aqueles sintomas e para aquela duração... Não gostamos de generalizar, mas pelo menos ficam aqui as bases do chá, para ajudar a compreender algumas coisas.

Espero que tenham gostado e que seja útil.



quinta-feira, 25 de março de 2021

Cliente ou Paciente?

    Às vezes falamos directamente com os pacientes, outras vezes entre nós terapeutas, e usamos o termo "paciente". Ao ouvirem isto, já tive pacientes a perguntar "paciente?... Não quer dizer cliente?"

    Por isso acho importante clarificar porque fazemos a distinção entre os 2 termos. Esta distinção é algo que é importante para nós, que temos batalhado por fazer as pessoas entenderem, e por isso acho importante partilhar com Vocês, caros leitores.

    "Cliente" é alguem que entra, paga, e sai. Foi ali efectuar um negócio ou transacção, e terminou ali.

    "Paciente" é alguem que sofre de algum problema, que tentamos ajudar. A prioridade não é o dinheiro nem a capacidade económica do paciente, mas sim a saúde. Tratar o problema que aflige o paciente é a prioridade. Mesmo quando tratado (uma sessão) ou em tratamento (várias sessões), é um acto continuo... É alguem que tentamos acompanhar, monitorizar, fazer "check up", e que por vezes debatemos os casos das patologia, mesmo fora de horas de trabalho, quando pesquisamos tratamentos alternativos, etc.

    No caso de "paciente", não se limita ao acto de pagamento. Mesmo depois, continuamos ligados aos nossos pacientes, e esperamos que os nossos pacientes também se sintam à vontade para nos abordar, nem que seja com alguma pequena questão.

    Para nós, terapeutas, nada é "pequeno demais para tratar", não existem "dores normais"... Nada é ignorado. Se algo ocorre, têm que ocorrer por uma razão, por isso quando tratamos o corpo num todo, gostamos que os nossos pacientes mencionem até aqueles pequenos detalhes que já nem se lembravam, mas que pode estar relacionado e até ajudar a compreender o mecanismo da lesão ou doença.

segunda-feira, 22 de março de 2021

Terapias Complementares e Terapias Alternativas

    No nosso espaço praticamos, tanto, as terapias complementares como as alternativas. Damos, sempre que possível e que seja da vontade do paciente, preferência pelo tratamento o mais natural possível.

O que são as “Terapias Complementares”?

    As “Terapias complementares” são todas as que podem ser feitas juntamente com outros tratamentos, inclusive os tratamentos de medicina convencional. Tentamos sempre que a nossa abordagem seja complementar e multidisciplinar, tentando sempre tratar o corpo de forma holística, nunca interferindo com tratamentos de outros terapeutas ou médicos. 

    As terapias complementares também são usadas para recuperação de lesões ou problemas, e por isso é frequente tratarmos pessoas que foram anteriormente operadas ou acompanhadas medicamente (com fármacos, fisioterapia, etc.), tentando que a nossa abordagem ajude o paciente, pois é isso mesmo que acreditamos, que “a saúde do paciente está em primeiro lugar”, independente de “quem” ou “como” cura.

O que são as “Terapias Alternativas”?

As “Terapias alternativas” são todas as formas de terapias que não são contempladas como medicina convencional. Apesar de nos últimos anos a lista de métodos terapêuticos reconhecidos em Portugal ter aumentado, ainda é muito limitada, havendo certos tipos de tratamentos que utilizamos que ainda não são reconhecidos, (mesmo com valiosos contributos para a medicina global e comprovados cientificamente), como “medicina” em Portugal.

Bons exemplos disso são a massagem em si, shiatsu (massagem tradicional japonesa), magnetoterapia (uso de ímanes para fins terapêuticos), etc. 

        Conclusão: Qualquer terapia, mesmo que considerada alternativa, que possa e seja usada em complemento com outras medicinas sem interferência (mesmo a convencional), são terapias complementares. 

quinta-feira, 18 de março de 2021

O que são as terapias orientais?

  Muitas das pessoas, quando olham ao nosso preçário perguntam-nos: “o que são as terapias orientais?”, e hoje venho-vos esclarecer sobre o que são e quais delas fazemos no Centro de Terapias S. Natural.

Vamos começar por “o que são as terapias orientais?”:

Basicamente, são todas as terapias originárias e utilizadas nos países orientais. São naturais, e consideradas atualmente como “medicinas alternativas”, mas antigamente eram as únicas que existiam, e englobam:

    • Acupunctura - A mais conhecida de todas! Esta para já não a praticamos, mas se tudo correr bem, assim que acabarmos os curso iremos pô-la em prática;

    • Reflexologia - Não pomos em prática directamente, mas usamos os seus principios para alguns tratamentos. A prática directa está para breve);

  • Reiki – Sistema de tratamento energético, para ajudar o corpo a encontrar equilíbrio. Fazemos, tanto a pessoas, como a animais;
  • Tui Na – Massagem tradicional chinesa. Não a praticamos na totalidade, mas usamos algumas técnicas desta massagem para um melhor tratamento dos nossos pacientes;
  • Shiatsu – Massagem tradiconal japonesa. Exatamente como acontece com a massagem Tui Na, usamos apenas algumas técnicas (pode ser executada no chão ou na marquesa);
  • Gua Sha – Massagem tradicional de raspagem, considerada em várias línguas como “raspagem terapêutica”, sendo o termo “Gua Sha” a variante chinesa. Realizamos esta terapia, com auxilio de um “Gua Sha”, uma peça em osso polido.
  • Yoga – Forma de exercicio milenar, considerado como “património da humanidade”. Recomendamos a sua prática a quase todos os nossos pacientes, muitas vezes demonstrando alguns exercicios no nosso centro, pois é uma forma natural de fazer exercicio sem abusar do corpo, e ao mesmo tempo ajudar com a postura e melhoramento de dores articulares. Como o Telmo é instrutor de yoga, muitas vezes demonstra os exercicios ou faz “lado a lado” com os pacientes, para os ajudar a corrigir a forma;
  • Auriculoterapia – Tratamento com pontos de reflexologia na orelha, que podem ser estimulados com agulhas, manualmente, ou com sementes; Realizamos esta terapia, com bastante sucesso, principalmente no que toca a patologias crónicas.
  • Massagem com taças tibetanas – Fazemos, e esta é a única massagem que pode ser feita de forma segura a doentes oncológicos, por não haver estimulação manual dos tecidos. É uma massagem extremamente relaxante, mas usada para fins terapeuticos do corpo e da mente. Muitas vezes usada para ajudar com ansiedade, stress, insónia, hiperactividade, etc.;
  • Acupuntura Coreana – Usando um sistema semelhante à reflexologia, e que equivale ao sistema de meridianos de acupuntura chinesa, é feita sem agulhas e apenas na zona das mãos. Este tipo de “acupuntura” realizamos;
  • Ventosoterapia – Terapia que usa ventosas para criar pressão negativa no corpo. Podem ser usados vários materiais para as ventosas, ficando fixas ou móveis no corpo. (Quem já é nosso paciente, sabe que recorremos regularmente às ventosas nos tratamentos, para uma melhor recuperação do paciente);
  • Moxabustão (ou também chamada “Moxibustão”) – É um tratamento térmico, que usa o calor como forma de relaxar o corpo, e remover humidade do corpo. É uma queima controlada de uma erva medicinal. Também fazemos. É o tratamento com o “charuto gigante” que ficamos a “cheirar a lareira” :D ;
  • Alimentação macrobiótica - Esta não dá para fazer no nosso espaço, mas quem quiser pode fazer em casa;
  • Magnetoterapia – Uso terapeutico de imãns. Fazemos com os imãns grandes, com caneta magnética e com os imãs pequenos, que podem levar para casa para irem fazendo tratamento continuo;
  • Massagem ayuvedica – A medicina Ayurvédica é tradicionalmente indiana, sendo um excelente, e bastante complexo, sistema medicinal, que têm por objectivo ajudar a repor o equilíbrio no corpo. (Não a praticamos);
  • Fitoterapia Oriental – Uso de plantas medicinais de origem oriental (e europeia, sendo a parte “europeia” adicionada nos anos mais recentes), com objectivos medicinais. Não só os povos orientais usam muitas mais plantas para fins medicinais que os europeus, como também aproveitam quase todas as partes das plantas para fins terapeuticos;
  • Tai chi, Qi Gong e Chi Kung – Sistemas de exercicios que têm como objectivo ajudar e melhorar a energia vital dos praticantes, e ajudar no equilíbrio fisico/psicologico, no dia-a-dia. (Apesar de, de momento, não fazermos no nosso centro, recomendamos a praticamente todos os nossos pacientes, para que façam em casa);
  • Etc. - Existem imensas e variadas formas de “terapias orientais”, mas aqui apenas metemos as principais e mais conhecidas na Europa.

Esta é apenas uma pequena amostra das terapias orientais que existem. Algumas já conhecem, outras provavelmente já ouviram falar, e outras desconheciam a sua existência, pois não são comuns cá... é normal. 

Espero que tenham gostado.

segunda-feira, 15 de março de 2021

R.I.C.E

    R.I.C.E é um acrónimo de um principio usado em medicina (principalmente medicina desportiva). É um dos princípios que se aprende logo bem cedo no tratamento de lesões, e é das coisas mais úteis que podemos aprender quando lidamos com lesões sérias. É frequente ver anotações médicas onde escrevem simplesmente nas recomendações "R.I.C.E.", em vez de escrever um a um, detalhadamente. 

    R.I.C.E. significa:

  • Rest (Descanso)
  • Ice (Gelo)
  • Compression (Compressão)
  • Elevation (Elevação)

    Estes são os quatro elementos deste princípio extremamente eficaz no tratamento de lesões, e tentaremos analisar um a um, para determinar o "porquê":

    Sem descanso, uma lesão não se trata correctamente! (Sim, pode ir melhorando aos poucos, mas nada é garantido, muito menos uma melhoria!). Se não paramos de esticar e contrair o músculo, se não paramos de o usar, ele não consegue regenerar-se correctamente e pode ainda piorar. Por isso mesmo, aliviar a carga na zona lesionada e descansar, são importantíssimos no tratamento de uma lesão.

    Sem aplicarmos gelo, além de inflamação, temos acumulação de líquidos, hematoma, e outras possíveis complicações. O gelo faz uma constrição da zona, o que além de evitar ou reduzir a inflamação, tenta manter os tecidos no lugar, evita que haja derrames ou líquidos acumulados na zona, etc.

    Compressão é importante para manter tudo no lugar certo. Para isso, é importante que primeiro seja verificado por um profissional, para garantir que realmente está tudo no local certo, antes de aplicar compressão para evitar movimentos desnecessários e impedir que algo saia do lugar. Não é só apertar, mas sim saber também quanto devemos apertar.

    Elevação é excelente para garantir "escoamento" dos fluidos do corpo. Se aplicarmos elevação, reduzimos o inchaço e a retenção de líquidos indesejados. 

    Tudo isto junto, quando bem aplicado, ajuda o corpo a recuperar rapidamente de lesões. Apesar de ser aplicado às vezes nas lesões do dia-a-dia, este principio é dos mais usados para correcto tratamento de lesões desportivas. Se funciona bem com desportistas de alto desempenho, de certeza que funciona bem para lesões ligeiras do dia-a-dia.

quinta-feira, 11 de março de 2021

Stress

Quem agora em tempo de pandemia, não está sujeito a stress? Ou por causa do teletrabalho? Ou pela telescola? Ou pela redução de rendimentos? Ou pelo excesso de trabalho? Ou pelo medo do vírus? Ou pelo confinamento? Ou por tantos outros motivos que nos causa stress. 

Segundo a OMS, o stress é a “epidemia de saúde do século XXI”.  Cada vez há mais pessoas a sofrer de doenças causadas pelo stress, e para o combater, é preciso primeiro perceber “O que é o stress?”. 

O stress é a pressão ou constrição exercida sobre algo ou alguém. A pressão exercída causa alterações físicas, psicológicas e metabólicas no nosso corpo. 

As consequências do stress são:

    • Reduz o sistema imunitário;

    • Aumenta a probabilidade de vir a sofrer de obesidade;

    • Aumenta a probabilidade de vir a sofrer de anorexia / bulimia.

    • Aumenta a probabilidade de vir a sofrer de hipertensão e/ou diabetes;

    • Aumenta a probabilidade de vir a desenvolver uma doença coronária;

    • Aumenta a probabilidade de desenvolver úlceras nervosas;

    • Diminue a fertilidade;

    • Problemas no sistema digestivo (prisão de ventre e/ou diarreia);

    • Flatulência;

    • Dores de cabeça, barriga e/ou costas;

    • Em casos extremos, pode desenvolver um “burnout”.


(Já se sente stressado só de ler a lista? Esperamos que não!) 


Os Sintomas do Stress podem ser físicos ou mentais, tais como:

    • Cansaço mental e físico;

    • Perda de memória;

    • Dificuldade de concentração;

    • Ansiedade;

    • Alterações de humor;

    • Insónias;

    • Dores musculares;

    • Dores de cabeça;

    • Azia;

    • Tonturas;

    • Perda do desejo sexual;

    • Queda de cabelo;

    • Herpes;

    • Sentir-se sobrecarregado;

    • Tristeza;

    • Depressão;

    • Irritabilidade excessiva;

    • Etc.

Estes são alguns exemplos. Os sintomas podem ser bastante variados e dispersos, e cabe a um profissional de saúde, após a avaliação do paciente, perceber se os sintomas que ele(a) se queixa são devido ao stress ou têm outra causa.

Agora vêm a pergunta chave: “Como reduzir os efeitos do stress?”. 

    • Alimentação equilibrada e saudável;

    • Fazer exercício físico (apesar de agora estarmos confinados não significa que não nos possamos exercitar, podemos fazer Yoga, pilates, tai chi, chi kung, etc., isso sem sair de casa. Se precisar de apanhar um pouco de ar, coloque a máscara e pode ir dar a volta ao quarteirão, a correr ou a andar);

    • Meditação;

    • Massagem de relaxamento, pedras quentes ou com taças tibetanas;

   (eu sei, estas três massagens, neste momento estão fora de questão de momento, por ordem do governo, mas quando acabar o confinamento é uma boa opção para relaxar)

    • Chá / infusão medicinal;

    • Suplementos alimentares;

    • Ouvir música;

    • Medicação (em casos mais complexos);

    • Etc. 

Basicamente fazer algo que goste e o(a) ajude a relaxar.


Espero que tenham gostado

*Nenhum post aqui feito substitui uma avaliação, diagnóstico e/ou tratamento médico.

segunda-feira, 8 de março de 2021

Quente ou Frio?

     Das perguntas que ouvimos mais vezes no nosso espaço de terapias é "devo colocar quente ou frio?", e por isso mesmo achamos um bom tópico para começar a tentar esclarecer o melhor possível a situação.

    A diferença entre a aplicação de frio ou calor, não é questão de preferência (o terapeuta não aplica frio porque gosta de arrefecer os pacientes), mas sim dos respectivos efeitos terapêuticos. 

    O frio é excelente para reduzir inchaço, inflamação, circulação e prevenir lesões. É também levemente analgésico. Evita que as zonas inchem, evita que o "estrago seja maior". É o que devemos aplicar logo (pelo menos 3 dias) após uma lesão, trauma, impacto, etc.

    O quente é excelente para aumentar a circulação e para ajudar a relaxar os músculos. Após a fase inicial da lesão (onde se aplica gelo), a aplicação de calor pode ajudar a recuperar mais rapidamente. Apenas devemos ter atenção para não aplicar calor sobre algum tecido que ainda esteja inflamado, pois pode piorar ainda mais a inflamação (sim, pode saber bem no momento, mas depois demora mais tempo a tratar a inflamação).

    Estou disponível para esclarecer as vossas dúvidas. Basta comentarem e respondo-vos.

Espero que gostem

quinta-feira, 4 de março de 2021

Porque sentimos dor?

    A dor é um sinal vital. Pode ser uma dor fraca ou intensa, pode ser localizada ou extensa, pode ser constante ou intermitente, e pode ser pontual ou crónica. 

A dor é o que, normalmente, nos indica que algo está mal no nosso corpo, e pode ter variadas causas, tais como:

  • Stress
  • Cansaço
  • Noite mal dormida
  • Tendinite
  • Contratura muscular
  • Desregulação de vitaminas e/ou minerais
  • Entorses
  • Maus jeitos
  • Choque térmico
  • Humidade
  • Ossos partidos
  • Doenças autoimunes (fibriomalgia, artrite reumatóide, etc.)
  • Etc.

    O stress, habitualmente, causa dores de cabeça, pescoço e/ou ombros. Quem nunca deu por si a comentar, para si mesmo ou para alguém, após uma discussão com um familiar, amigo, colega ou patrão, “Por causa dele(a) já fiquei com dor de cabeça.”? Ou, após uma noite mal dormida, sente-se “como se tivesse levado uma tareia”? Ou, após um dia de trabalho (quer seja imóvel em pé, sentado ou a fazer esforços) extenuante diz “Hoje dói-me X” ou “Hoje o dia foi tão cansativo que me dói tudo!”? Estas dores, normalmente, são pontuais e passam após uma boa noite de sono.
    Mas há dores que começam e vão aumentando de intensidade conforme o tempo progride, podendo se alastrar para as áreas envolventes, e podem causar perda de movimentos e/ou força. Estas dores normalmente estão associadas a contraturas musculares, tendinites, doenças autoimunes, etc... Ou seja, as dores só desaparecem ou diminuem após o tratamento adequado das mesmas, porque só o comprimido não resolve, ou seja, o comprimido mascara os sintomas, não tratando a causa do problema.
    Quando a causa da dor é por entose, mau jeito, ossos partidos, choque térmico, etc.. são dores, normalmente, muito intensas, que causam limitação de movimentos e força, e começam repentinamente.
    Quando temos desregulação de vitaminas e/ou minerais, habitualmente, sentimos caibras, dores de cabeça, dores de barriga, etc., sendo este tema muito diversificado, porque depende de que vitamina/mineral está em défice ou em excesso, porque as dores às vezes podem ser uma consequência indireta dessa desregulação, na qual falaremos noutro post.

    Os tratamentos de cada tipo de dor e patologia associada iremos falar noutros posts.

  Estou disponível para esclarecer as vossas dúvidas. Basta comentarem e respondo-vos.

Espero que tenham gostado.
Até há próxima 😃

quarta-feira, 3 de março de 2021

Início de um novo desafio

     Este blog foi feito para iniciarmos 2021 com "o pé direito". Após mais de 1 ano e meio de funcionamento, estamos a expandir e a crescer, por isso decidimos começar este "pequeno projecto" que é um blog de partilha de conhecimento e experiência, onde tentaremos publicar 2x por semana um artigo diferente, que reflecte não só as nossas aprendizagens, como também as nossas experiências práticas do dia-a-dia.

     Não só estamos sempre a aprender novas técnicas, estudar novas terapias, implementar novos tratamentos, etc., como também gostamos de informar as pessoas (tanto a comunidade geral, como os nossos pacientes). Quando os nossos pacientes sofrem de alguma patologia, gostamos de os informar o mais detalhadamente possível sobre a patologia em si, para que isso ajude não só o tratamento, como também ajude na compreensão e prevenção dessa mesma patologia. 

    Acreditamos que o melhor caminho para a cura, não é só tratar, mas sim também informar os pacientes do tratamento em si, o que requer uma abordagem tanto holistica e multidisciplinar.

    Somos um casal de terapeutas, com mais de 10 anos de experiência no tratamento de patologias e lesões variadas, que abrimos o Centro de Terapias S. Natural, e por isso vimos aqui expor parte do conhecimento que temos e que vamos adquirindo, para que isto possa ser útil a todos, desde quem sofre dos problemas, quem estuda ou deseja aprender, etc.


Esperamos que gostem

Celulite

     Provavelmente interrogam-se porque é que nós, que geralmente focamo-nos em questões de saúde e evitamos questões de estética, estamos f...